Realizado com sucesso nesta terça-feira, 12, o 1º Fórum Municipal de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil teve cerca de 180 participantes. Representantes da rede socioassistencial do município, entre conselhos de direitos, conselhos tutelares, órgãos públicos e de instituições que atendem crianças e adolescentes se reuniram durante o dia no salão nobre da Casa de Portugal, na Várzea. A realização foi da Prefeitura, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, com o apoio dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente e de Assistência Social.

“Com esse evento, o Executivo Municipal se prepara para iniciar uma campanha de prevenção e combate ao trabalho infantil em Teresópolis. A proposta do Fórum foi mobilizar e conscientizar a sociedade sobre a responsabilidade das famílias, das instituições e do poder público em cuidar e proteger nossas crianças e adolescentes. Estamos construindo as ações passo a passo, esse é um dos compromissos da gestão do Prefeito Vinicius Claussen”, destacou Marcos Jaron, secretário de Desenvolvimento Social.

Foram abordados temas como os malefícios do trabalho infantil no desenvolvimento de crianças e adolescentes e as medidas preventivas do Ministério da Saúde para identificar essas violações, a interface das piores formas de trabalho infantil no desenvolvimento educacional e a importância do programa Busca Ativa Escolar/Secretaria Municipal de Educação e a atuação dos Conselhos Tutelares de Teresópolis.

O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil de Teresópolis detectou a existência de crianças e adolescentes trabalhando na lavoura ou em atividades domésticas no município. “Continuamos na fase de diagnóstico. O próximo passo é criar uma comissão municipal para elaborarmos ações estratégicas de prevenção e de combate a essa prática”, relatou Tereza Alvarez, presidente interina do Programa.

Para a subsecretária de Desenvolvimento Social, Maria Eugenia Frederico, que preside o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, “o Fórum foi de extrema importância para iniciar o combate ao trabalho infantil, que é uma das piores formas de violação de direitos da criança e do adolescente. Lugar de criança é na escola, onde vai aprender a desenvolver habilidades para se tornar um adulto melhor, emocional e profissionalmente”, opinou.

“A Vara da Infância, da Juventude e do Idoso (VIJI) é parceira desse projeto. Trabalhamos juntos pelos direitos dessa parcela da população. Crianças e adolescentes em família e na escola são sinônimos de sociedade saudável”, concluiu a psicóloga Eliana Bayer, que representou a juíza Vania Mara Gonçalves, titular da VIJI, no Fórum.

Fotos: Sidney Di Pontes