Teresópolis recebe mestres, contramestres e alunos de vários estados no 27º Encontro de Capoeira Regiangola

Teresópolis recebe mestres, contramestres e alunos de vários estados no 27º Encontro de Capoeira Regiangola
Teresópolis recebe mestres, contramestres e alunos de vários estados no 27º Encontro de Capoeira Regiangola

Prefeitura apoia evento de integração cultural e esportiva

Aulão, roda de confraternização, jogo de mestres, batizado e entrega de graduações marcaram o último dia do 27º Encontro de Capoeira Regiangola, neste domingo, 28, no Ginásio Pedrão. Com realização do Mestre Sorriso e apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Esportes e Lazer, o evento de integração cultural e esportiva reuniu mestres, contramestres e alunos de dez cidades do estado do Rio de Janeiro e também de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão e Brasília.

Para o secretário de Esportes, Luiz Otavio Oliveira, o Encontro contribuiu para movimentar a cidade, aquecendo o turismo e o comércio. Ele lembrou que, seguindo a orientação do Governo, de promover todas as modalidades esportivas, a Secretaria de Esportes mantém uma escolinha de capoeira, com aulas gratuitas ministradas por professores voluntários.

Organizador do 27º Encontro de Capoeira Regiangola, Mestre Sorriso comemorou o sucesso do evento. “Eu fico feliz em trazer mestres de outros estados, as pessoas se comprometeram e vieram. A capoeira tem uma preocupação muito grande com a formação hierárquica e a tradição. E um capoeirista que não tem fundamento e tradição não pode ser considerado um capoeirista de verdade. Que ele procure sempre uma boa formação”, comentou, agradecendo o apoio da Secretaria de Esportes.

Mestres, contramestres e alunos

Mestre Bom Sorriso fez questão de vir de Brasília especialmente para participar do encontro. “A capoeira é a melhor, se não a maior, ferramenta de inclusão social, uniu povos inimigos no tempo da escravidão e hoje está unindo povos do mundo todo. Temos capoeira em 192 países, e em Brasília, onde eu moro, são 6 mil adeptos”, destacou.

De Niteroi, Mestre Adriana mostrou a raça da mulher na capoeira. “Tenho 15 anos de mestre, demorou pra chegar onde estou. Tenho 4 filhos e 4 netos, e agora brilho em todos os eventos. Parabenizo Mestre Sorriso por esse encontro, que reúne grandes autoridades desse esporte”, disse.

Professor na Associação Cultural Capoeira União, Bruno Pereira da Silvia veio de Petrópolis com a mulher, Ana Paula Rodrigues, e as filhas Fernanda, 10, e Julia, 8 anos, para prestigiar o encontro de integração. “É a segunda vez que participo do evento do Mestre Sorriso. Deixei de ir à formatura do meu grupo para prestigiar esse encontro, em Teresópolis, onde a gente encontra amigos e troca ideias”, comentou.

De São Gonçalo, a contramestre Danielle, do Grupo Angonal, subiu a serra com a filha Ana Mel, de 9 meses. “O Grupo Regiangola, do Mestre Sorriso, é como se fosse a minha segunda família na capoeira. A receptividade é nota mil”, parabenizou.

Professora voluntária na escolinha de capoeira da Secretaria de Esportes, no Ginásio Pedrão, Luana Mello da Silva, a conhecida contramestre Beija-Flor, destacou o poder transformador do esporte. “O que nos motiva a dar aula é ver a felicidade das crianças, a disciplina, o aprendizado, o desenvolvimento motor e o convívio social, que é fundamental. E a capoeira nos dá essa alegria”, avaliou.

Aluno do Grupo Regiangola, de Teresópolis, Gleysson Henrique, 16, faz capoeira há 4 anos. “Sempre gostei, aprendo muitas coisas. A capoeira está mudando a minha vida”, concluiu. 

Fotos: Jorge Maravilha/AscomPMT

Fechar Menu
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: