Sistema Integrado de Transporte Coletivo e Mobilidade urbana

A Prefeitura de Teresópolis está implantando o IntegraTerê – Sistema Integrado de Transporte Coletivo e Mobilidade Urbana.

O sistema permite realizar uma integração temporal, utilizando cartão eletrônico de vale-transporte. Através dele, o usuário troca de ônibus gratuitamente (sem pagamento de outra passagem).

A primeira etapa aconteceu em setembro de 2018 com a integração da linha Imbiú X Rodoviária.

Em março de 2019, a linha Fazenda Ermitage X Várzea integra o sistema.

O que é integração?

A integração é um dos braços do sistema de mobilidade urbana através da qual o usuário pode trocar de ônibus, sem pagar uma nova passagem. Ela funciona quando o usuário, utilizando o cartão eletrônico de vale-transporte, passa na catraca do ônibus seguinte dentro de um determinado período de tempo.

Como a integração funciona em Teresópolis?

Ao passar na catraca do primeiro ônibus será debitado o valor de uma passagem no cartão vale-transporte eletrônico. Após o débito, o validador gravará no cartão dados referentes à data, hora, linha, sentido e tempo de integração de uma hora e meia.

O usuário desce na parada onde pretende embarcar em ônibus de outra linha. Ao entrar no segundo ônibus, o usuário apresentará seu cartão ao validador, que verificará as informações gravadas referentes à integração. Existindo tais informações, o validador verifica se a integração é possível e libera a catraca sem debitar uma nova passagem. A integração funciona uma única vez em sentido unidirecional.

Caso não haja saldo no cartão eletrônico vale-transporte, a integração não será possível. O usuário deverá pagar sua passagem em dinheiro, utilizando o ônibus normalmente sem sistema de integração.

Quem pode utilizar a integração?

A opção da integração está associada ao débito de créditos eletrônicos armazenados em cartões inteligentes (smart cards). Assim, os usuários que possuem o cartão vale-transporte, desde que contendo saldo de créditos eletrônicos, poderão se beneficiar da integração temporal.

Posso fazer integração pagando a passagem em dinheiro?

Como a opção da integração está associada ao débito de créditos eletrônicos, não é possível utilizar os coletivos em sistema de integração pagando a passagem em dinheiro.

O que é permitido na integração?

1 – Permitir um deslocamento do usuário de uma origem a um destino, utilizando a integração no espaço de uma hora e meia;

2 – A integração que o usuário utilizar deverá se dar de um bairro para outro, sem pagar duas passagens;

3 – Para acesso à integração, o usuário utilizará o cartão eletrônico como base da viagem de origem;

O que não é permitido na integração?

1 – Pegar ônibus da mesma linha (nem para continuar a viagem e nem para voltar);

2 – Tempo para fazer a integração temporal será de uma hora e meia a partir do primeiro ônibus, após isso será cobrada uma nova tarifa.

Quais as vantagens?

A integração por meio do cartão eletrônico possui vantagens para qualquer usuário e para todo o sistema de transporte coletivo:

1 – Segurança: a circulação de menos dinheiro dentro do ônibus desfavorece a ocorrência de assaltos. E em caso de perda ou roubo, é só cancelar o cartão.

2 – Economia: no intervalo de 90 minutos, o usuário pode utilizar dois ônibus e pagar apenas uma passagem.

3 – Praticidade: o usuário pode fazer integração com outra linha em qualquer ponto de parada.

4 – Agilidade: o embarque fica mais rápido, já que não é preciso aguardar o recebimento de troco.

Como adquirir um dos cartões eletrônicos de Vale-Transporte?

O cartão RioCard pode ser adquirido no Posto Teresópolis, localizado na Avenida Feliciano Sodré, 579, na Várzea. É através do cartão que o sistema valida e controla o tempo e a direção da integração.

Para facilitar os moradores do conjunto habitacional Parque Ermitage, a RioCard vai instalar a partir desta terça-feira (26), um posto avançado de atendimento dentro do bairro. O objetivo é agilizar o atendimento dos moradores, principais usuários da linha.

Fechar Menu
Skip to content