Secretaria Municipal de Saúde adverte população para medidas de prevenção à raiva humana

  • Post author:
  • Post published:18 de junho de 2020
  • Post category:Saúde
Compartilhar:

Após notificação da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro sobre o caso de raiva humana, contraído por adolescente em Angra dos Reis (RJ), a Secretaria Municipal de Saúde adverte a população de Teresópolis sobre as medidas de prevenção à doença.

O município de Teresópolis não possui nenhum caso de raiva humana registrado. Em média, são realizados 120 atendimentos por mês de indivíduos com mordeduras de cães, gatos, cavalos, morcegos e outros mamíferos possíveis de transmissão da raiva. O Polo de referência de Atendimento para a profilaxia da raiva humana è o SPA Dr. Eitel Abdallah e para os casos com indicação de soroterapia, o Hospital das Clínicas Costantino Ottaviano (HCTCO).

O último caso registrado no estado do Rio de Janeiro foi em São José do Vale do Rio Preto, há 14 anos. Na capital, o caso mais recente foi em 1986. Em Teresópolis há mais 30 anos não se registra caso algum e todas as Unidades de Saúde estão alertas e capacitadas para atendimentos e encaminhamentos, quando necessário, visando a profilaxia da Raiva Humana.

Ainda segundo a Secretaria, há indicativo de que o Ministério da Saúde enviará vacina antirrábica animal para realização da campanha até novembro.

RAIVA

A raiva é uma doença transmissível que atinge todos os mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, macacos, morcegos e também o homem, quando a saliva do animal infectado entra em contato com a pele lesionada ou mucosa, por meio de mordida, arranhão ou lambedura do animal.

SINTOMAS

Inicialmente, durante os primeiros dias, a raiva humana apresenta mal-estar, aumento de temperatura, falta de apetite, dor de cabeça, enjoos, dor de garganta, irritabilidade, inquietude e sensação de angústia, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Há ainda dor, queimação e formigamento no local onde houve a mordida.

Com a progressão da doença, a pessoa infectada passa a ter febre, delírios, espasmos musculares involuntários – na laringe, faringe e língua ocorre com a ingestão de líquidos, causando produção de saliva – e convulsões, além de ansiedade e hiperexcitabilidade.

Os espasmos podem levar a um quadro de paralisia, com mudanças cardiorrespiratórias, retenção urinária e constipação intestinal, de acordo com a secretaria. Há também sensibilidade à luz e sons, dificuldade de engolir e medo de água.

PROFILAXIA E TRATAMENTO

Se você for mordido por animais como cães, gatos, morcegos, macacos e outros mamíferos, lave imediatamente o ferimento com água e sabão e procure um posto de saúde no seu município para orientação de medidas profiláticas. Nunca mate o animal. Deixe-o em observação durante 10 dias, para que possa ser identificado qualquer sinal indicativo da raiva. O animal deverá receber água e alimentação normalmente, em um local seguro, para que não fuja ou ataque outras pessoas ou animais.