Parque Montanhas de Teresópolis ganha segundo livro comemorativo

Edição bilíngue traz imagens e dados sobre 100 espécies de aves registradas na área de conservação 

Com informações de 100 das cerca de 300 espécies de aves registradas na área de conservação ambiental, o livro ‘ADMIRAVES – Avifauna do Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis’ foi lançado no último sábado, 8, na sede de Santa Rita. Com edição bilíngue, o livro, que não teve custos para os cofres públicos, marca os 11 anos de criação do maior parque municipal do país. Baixe o livro no formato digital por meio do link https://bit.ly/AdmirAves.

Participaram do lançamento o Prefeito Vinicius Claussen, secretários municipais, servidores, professores e diretoria do Unifeso, centro universitário parceiro da iniciativa juntamente com a Feso (Fundação Serra dos Órgãos).

Teresópolis lançando mais um livro para contar um pouco mais sobre o parque municipal e suas riquezas naturais. ‘ADMIRAVES’ é repleto de cores, cantos e interatividade com o leitor, através do QR Code. É um convite a explorar o mundo das aves. Parabéns à Secretaria de Meio Ambiente, ao Unifeso, a Feso e a toda equipe que participou da produção do livro”, ressaltou o Prefeito Vinicius Claussen, pontuando que a gestão municipal tem consciência do difícil momento que todos passam, devido ao um enfrentamento da pandemia, mas que é preciso organizar e planejar o retorno das atividades.

Flavio Castro, secretário de Meio Ambiente, contou que a ideia de produzir a obra surgiu durante o levantamento científico para o livro sobre os 10 anos do parque, fazendo um resumo sobre o conteúdo da obra. “Fizemos um livro que conta um pouco da história da Mata Atlântica, pontuando sobre 100 das quase 300 espécies de aves registradas. Tem um capítulo sobre educação ambiental no qual a relação ser humano/aves é destaque, mostrando que as aves podem ser apreciadas pela coletividade e não aprisionadas em gaiolas. Há ainda a observação de pássaros, uma prática mundial, pode e deve ser incentivada aqui no parque e estamos trabalhando para oferecer a estrutura para isso”.

Para a reitora do Unifeso Verônica Albuquerque, organizadora e uma das autoras, o objetivo é fazer as pessoas se encantarem pelo mundo das aves. “É um trabalho de escrita, de curadoria de conteúdo, que a gente faz muito feliz. A gente foi escalando o time, modelando o livro com esse desejo de que servisse para o público em geral, em um movimento de encantar, não se propor a ser um guia de campo, mas que a gente pudesse produzir uma obra interativa. Os capítulos assessórios contam um pouco sobre esse lindo cenário do parque e fazem as pessoas se apaixonarem por ele”.

‘ADMIRAVEIS’

Com imagens feitas por fotógrafos renomados, o livro traz registros diversos, entre eles, várias espécies de Beija-flor, de Gavião e de Coruja, além do Tucano-de-bico-preto, do Tucano-de-bico-verde, Bacurau, Mãe-da-Lua e uma variedade colorida e encantadora de aves, de todo tipo de plumagem e tamanho.

São 7 autores, entre profissionais da Secretaria e professores do Unifeso, com a colaboração do ornitólogo Jeffrey Podos, da Universidade de Massachusetts/EUA. O primeiro capítulo fala sobre a Mata Atlântica, o segundo sobre Teresópolis e o terceiro lista as aves, com fotos e textos a respeito de cada uma delas, em português e inglês. Existem ainda capítulos destinados à educação ambiental e com projeções futuras com foco no turismo de observação de aves.

O Parque – Criado em 6 de julho de 2009, o Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis tem uma área de 4.397 hectares. Abrange parcialmente alguns bairros, entre eles: Caleme, Posse, Salaco e Campo Grande – na cidade, Santa Rita e Ponte Nova – no interior. Faz limite com Petrópolis e São José do Vale do Rio Preto.

Possui em seu território uma imponente cadeia de montanhas, onde se destacam afloramentos rochosos como as pedras da Tartaruga, do Camelo e de Santana. A unidade de conservação também protege nascentes e importantes remanescentes florestais, que abrigam significativas espécies da fauna e flora do bioma Mata Atlântica, na região.

Fotos: Bruno Nepomuceno