Operação Choque de Ordem fiscaliza 90 denúncias e fecha 55 bares e restaurantes nos dias 3 e 4 de abril

Somando com as fiscalizações de posturas diurnas, foram 300 denúncias apuradas de 30 de março a 04 de abril

As equipes de fiscalização, vinculadas à Secretaria Municipal de Fazenda, junto com a Polícia Militar têm realizado ações de choque de ordem durante as noites e madrugadas para notificar os restaurantes e bares que seguem funcionando, em descumprimento ao Decreto Municipal nº 5275/2020. Apenas nas noites de sexta (3) e sábado (4), foram fiscalizados 90 estabelecimentos na cidade e no interior, resultado de denúncias da população. Mesmo as operações tendo sido direcionadas a bares e restaurantes, outros comércios encontrados em funcionamento irregular foram fiscalizados, como sorveterias e lojas de roupas. No total, foram 55 estabelecimentos fechados.

As operações aconteceram por todo o município. Na cidade, foram fiscalizados e fechados estabelecimentos na Várzea, Pimenteiras, Barra, Golf, Caleme, Tijuca, Pimentel, São Pedro, Rosário, Barroso, Ilha do Caxangá, Granja Guarani, Beira Linha, Paineiras, Fonte Santa e Quinta Lebrão. O Parque Emitage também foi fiscalizado, mas os food trucks do local estavam fechados. No interior, houve incursões pelos bairros do Cruzeiro, Água Quente, Mottas, Santa Rosa, Bonsucesso, Venda Nova, Vargem Grande e Albuquerque.

Os moradores podem continuar fazendo as denúncias de funcionamento irregular de estabelecimentos a qualquer momento pelo aplicativo E-Ouve ou de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, pelo telefone /whatsapp: (21) 98126-4038.

A Prefeitura de Teresópolis pede a colaboração dos proprietários dos estabelecimentos no cumprimento do decreto, que visa proteger a população de Teresópolis contra o avanço do coronavírus. A conscientização é o melhor caminho. É preciso lembrar que infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa é crime previsto no código penal, no artigo 268, e prevê como pena a detenção, de um mês a um ano, e multa.

 

Abordagem dos fiscais de posturas com a Polícia Militar a estabelecimentos com funcionamento irregular