Merenda escolar terá produtos da agricultura familiar

Merenda escolar terá produtos da agricultura familiar

Mais qualidade e economia: Merenda escolar terá produtos da agricultura familiar 

Fiscalização garante redução de R$ 4,5 milhões na alimentação dos alunos da rede municipal de ensino

2
Produtos da agricultura familiar serão incluídos na merenda dos 23 mil alunos das cem escolas e creches municipais.

Com expressiva produção agrícola, Teresópolis se prepara para incluir artigos da agricultura familiar na merenda dos cerca de 23 mil alunos da rede municipal de ensino. O edital de chamada pública está em fase de elaboração.

A iniciativa atende o Programa Nacional de Alimentação Escolar, que determina que 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional da Alimentação Escolar para as refeições nas escolas brasileiras, devem ser destinados à aquisição de produtos da agricultura familiar.

“Teresópolis, por ser um grande pólo agrícola, se posicionava de uma forma lastimável em relação à lei nacional. Mas hoje, o processo de elaboração da chamada pública está em andamento na Secretaria de Administração. A Emater vem dando todo suporte técnico. Acredito que no próximo ano letivo os alimentos de qualidade que o município produz estarão inseridos na nossa merenda escolar”, explicou a secretária de Educação, professora Eveline Cardoso.

Além de garantir o padrão das refeições servidas nas cerca de 100 creches e escolas municipais, com produtos frescos e saudáveis, a medida vai fortalecer os produtores rurais, abrindo mais um mercado para a produção. 

“Vamos oferecer mais qualidade de vida aos nossos alunos, com alimentos ainda mais saborosos e fresquinhos, e o pequeno agricultor do município terá seu negócio incentivado. É uma grande oportunidade para o produtor rural”, avalia Eveline.

De acordo com a secretária, a oferta de cardápio variado e balanceado, e com preço justo, é uma preocupação constante. E os resultados vêm sendo alcançados através de fiscalização permanente, gerando expressiva economia de dinheiro público.

“Até o mês de agosto, havia uma previsão de investimentos de mais de R$ 12 milhões com merenda escolar para 120 dias letivos. Mas com nosso rigoroso controle para evitar desperdício, foram gastos em torno de R$ 7,5 milhões. Ou seja, economizamos R$ 4,5 milhões. Importante frisar que sem perder, em nenhum momento, a qualidade da alimentação servida. A nossa proposta sempre foi e sempre será a de ter o melhor para nossos alunos”, concluiu a secretária municipal de Educação, Eveline Cardoso.

Fotos: AscomPMT
Destaque: Secretária de Educação, Eveline Cardoso: mais qualidade de vida para os alunos e incentivo aos produtores rurais

Fechar Menu
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: