Irreverência, alegria e segurança marcam o primeiro dia do Carnaval de rua em Teresópolis

  • Post author:
  • Post published:1 de março de 2019
  • Post category:Cultura
Compartilhar:

Bloco das Piranhas dá o pontapé inicial da folia

Mais uma vez, os foliões de Teresópolis mostraram a alegria e a satisfação de poder brincar novamente o Carnaval de rua na cidade. Seguindo a tradição, a irreverência e a criatividade dos participantes do Bloco Piranhas da Serra abriram a folia nesta quinta-feira (28), na Praça Olímpica, na Várzea. Shows, fantasias, organização e segurança marcaram o primeiro dia de Carnaval no município. 

Serão seis dias de festejos na Várzea, sem investimento do município. A empresa Midas Eventos assumiu a organização e programação da festa, autorizada pelos Poderes Executivo e Legislativo a utilizar o espaço da Praça Olímpica. Os foliões terão uma programação diversificada com DJs, shows e desfiles de blocos. 

A Prefeitura Municipal garantiu o policiamento de trânsito e a limpeza dos locais de eventos logo após o encerramento da programação. A Polícia Militar também trabalhou junto ao esquema de segurança do Carnaval no centro da cidade. 

Com a frase ‘o Carnaval voltou!’, o músico Wenderson Rosa e a Banda Expressão Brasil fizeram a multidão vibrar no show desta quinta-feira (28), primeiro dia oficial do Carnaval de Teresópolis. O grupo colocou o público para dançar e cantar grandes sucessos. Mas os festejos não pararam por aí. A madrugada também foi especial para o teresopolitano que saiu de casa para curtir com muita alegria, responsabilidade e respeito os shows de Acústicos Anônimos e Hugo Rocha, também na Praça Olímpica. 

Piranhas da Serra

Fundado em 1985 por um grupo de amigos que desfilava pelas ruas do centro da cidade vestidos de mulher, o bloco Piranhas da Serra tem a tradição de abrir o Carnaval de Teresópolis e como característica a adesão espontânea de foliões. 

A estrutura montada na Várzea disponibiliza atendimento emergencial de saúde, praça de alimentação, banheiros químicos e segurança privada nos acessos à Praça Olímpica. 

Texto: Gisele Barreto
Foto: Jorge Maravilha