Exposição “naïf” de J. Araujo na Casa de Cultura até setembro

Exposição “naïf” de J. Araujo na Casa de Cultura até setembro

Um “ingênuo” veterano, com uma obra reconhecida internacionalmente. Assim pode ser definido o pintor “naïf” Jonathas Araujo — ou J. Araujo, seu nome artístico —, que acaba de inaugurar exposição na Casa de Cultura Adolpho Bloch, em Araras, organizada pelo curador da Casa, Ricardo Guarilha. A mostra pode ser vista até 18 de setembro, de segunda a domingo, das 10 às 17h.

Nascido em Salvador, Bahia, em 1940, morador do Rio de Janeiro, para onde veio com os pais aos 8 anos. Frequentador de Teresópolis, J. Araujo iniciou sua experiência artística como autodidata por influência da mãe e, em 1957, deu seus primeiros passos na pintura. Morador de Copacabana, ali teve a oportunidade de conviver com pintores hoje famosos e conheceu Jorge Beltrão, o primeiro marchand brasileiro que, encantado com a sua arte “naïf”, convidou-o para expor na galeria Montmartre Jorge, de sua propriedade. Foi a primeira exposição individual de Araujo.

A partir daí, sua carreira como pintor teve grande ascensão e suas obras foram expostas em dezenas de galerias no Brasil e em cidades como Frankfurt, Nova York, Lausanne e Zurich, além de passarem a pertencer a acervos de museus internacionais, como Anatole Jakowisky, na França; Museu de Pully, na Suíça; e, no Brasil, no Museu Internacional de Arte Naïf, no Rio de Janeiro.

Além disso, Araujo desenvolve seu trabalho como ilustrador para produtos variados de marcas tradicionais no Brasil e no exterior, criando também incríveis imagens para catálogos, livros infantis, didáticos, calendários e cartões de Natal, expandindo sua arte a diversos suportes, sem perder, no entanto, a essência original.

Texto e fotos: Secretaria Municipal de Cultura

Fechar Menu
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: