Espetáculo da Orquestra e Coro da Universidade Candido Mendes

Espetáculo da Orquestra e Coro da Universidade Candido Mendes

Música de qualidade com sotaque português e europeu: Orquestra e Coro da Universidade Candido Mendes apresentam espetáculo impecável

O público considerou impecável o espetáculo proporcionado pela Orquestra e Coro da Universidade Candido Mendes (Campus de Nova Friburgo) no domingo, dia 27, na Igreja Matriz de Santa Teresa. A atração fez parte da programação do “Natal Encantado — A Magia do Natal em Teresópolis”.

Sob a regência do tcheco Zdenek Zvab, todo o repertório combinado foi seguido à risca e “didaticamente” explicado por Zvab em um português com forte sotaque, mas muita simpatia.

A primeira peça executada pela Orquestra foi a “Marcha Imperial” de J. Willians, “um australiano especialista em canções para filmes”, segundo explicou o sempre sorridente maestro. Em seguida, as “Danças Germânicas” de W. A. Mozart, e a “Dança Húngara nº 5”, do alemão Johannes Brahms, que, segundo Zvab, adorava aquele país vizinho.

A segunda parte do espetáculo foi dedicada aos solistas, acompanhados pela Orquestra e, em alguns casos, também pelo Coro. A primeira peça foi o “Concerto para viola em Sol maior”, de Ph. Telemann, com solo do violinista André Araújo, acompanhado de cordas e cêmbalo.

O próximo solo foi da flautista Ravena, tocando “Espíritos Abençoados”, de W. Gluck — parte da ópera “Orfeu e Eurídice”, segundo o maestro. O brasileiro Heitor Villa-Lobos teve apresentada sua “Melodia Sentimental”, com a Orquestra e o solo de voz de Francisco Freitas, tendo João Dalbônio no clarinete.

Outro belo solo de voz foi de Nabila Andrade na ária “Habanera”, de G. Bizet, da Ópera “Carmen” (Versão Original, com Coro e Orquestra). Mozart voltou à batuta de Zvab com a bela “Ave Verum” — com Coro, cordas e cêmbalo. “Esta peça nunca foi traduzida do latim, língua na qual foi concebida pelo compositor austríaco”, explicou o maestro. A próxima apresentação foi da canção natalina brasileira “Glória, Glória”, acompanhada pela Orquestra e com o solo de voz de Jéssyca Braga.

Encerrada a fase dos solos, Villa-Lobos marcou novamente presença com a execução de seu “Canto do Pajé” pelo Coro e a Orquestra, seguido de “Noite Feliz”, de F. Gruber, executada pelo Coro, Orquestra, piano e com a plateia cantando junto, “regida” pelo maestro.

Ao final do espetáculo, todos pediram “bis” e foram atendidos com a música do filme “Perfume de Mulher”. Um espetáculo digno de um Natal Encantado e Mágico.

Tradição

Já consagrada junto à população de Nova Friburgo, onde funciona a Escola Superior de Música, a orquestra vem se apresentando em vários municípios do Estado do Rio de Janeiro. Idealizada pelo pró-reitor de Coordenação e Expansão da Universidade Candido Mendes, professor Alexandre Gazé, a orquestra foi criada em junho de 2007 e, em pouquíssimo tempo, se transformou em motivo de orgulho para toda a Região Serrana.
Seus componentes reúnem desde crianças que frequentam as oficinas gratuitas de música da Candido Mendes, até idosos acima de 70 anos. Hoje, são mais de 70 integrantes, oriundos da Escola Superior de Música, criada em 2002, também da Candido Mendes — única instituição privada de todo o Estado do Rio de Janeiro a oferecer o curso de Licenciatura em Música.

Texto – Ney Reis
Fotos – crédito AscomPMT

Comente:

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: