Segurança na Praça da Escola Ginda Bloch é assunto principal de café comunitário da Polícia Militar

Segurança na Praça da Escola Ginda Bloch é assunto principal de café comunitário da Polícia Militar
sta foi a terceira edição do Café Comunitário após a sua reativação, no dia 20 de abril

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 19, a edição mensal do café da manhã comunitário, iniciativa do 30º Batalhão da Polícia Militar. O encontro aconteceu no Espaço Cultural Higino, no Alto, e abordou assuntos de segurança pública em Teresópolis. O tema principal foi a Praça Nilo Peçanha, a da Escola Ginda Bloch, localizada também no bairro Alto.

“A solicitação tem sido feita nas últimas três reuniões referente aos eventos que ocorrem na Praça da Escola Ginda Bloch. Vamos nos reunir com o Choque de Ordem e com o Ministério Púbico e realizar mais ações contundentes no local, para trazer uma solução para as pessoas que moram ali ao derredor da praça”, disse o Coronel Marco Aurélio, comandante do 30º BPM.

Esta foi a terceira edição do Café Comunitário após a sua reativação, no dia 20 de abril, reunindo representantes da Prefeitura, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, do Conselho Tutelar, da Promotoria Criminal, da sociedade civil organizada e líderes comunitários.

A promotora de Justiça, Carla Cruz, destacou a importância da participação popular em reuniões como o Café Comunitário. “Esses encontros promovem a conscientização de que a população também faz parte da segurança e que é fundamental para sinalizar a esses órgãos o que está acontecendo e até salvar uma vida, denunciando um caso de abuso sexual, violência doméstica ou qualquer outro caso ilícito”, disse.

Uma das representantes da Prefeitura, a fiscal fazendária Nelma Campos, explicou como o Choque de Ordem, operação que visa verificar os estabelecimentos, orientando e/ou coibindo venda de bebida alcoólica para menores de idade, superlotação e perturbação da ordem pública, contribui dentro do Café Comunitário.

“Nós estamos aqui porque, na maioria das vezes, no Café Comunitário, 70% das demandas estão ligadas ao Choque de Ordem, ou seja, à Fiscalização Fazendária. A maioria das demandas está ligada ao município”, explicou Nelma Campos.

Dentre os assuntos abordados, além dos relacionados à Praça da Escola Ginda Bloch, também foram colocados em pauta temas como estacionamento irregular de veículos, reforço da segurança em bairros afastados do centro da cidade, período de incêndios florestais e placas de sinalização no interior do município, estes últimos levantados pela aluna do Centro de Integração Empresa-Escola, Larissa Maia, moradora de Santa Rita, no 2º Distrito.

“Eu achei de suma importância o Café Comunitário de hoje, todas as pessoas devem participar. Vou passar tudo daqui para minha comunidade, porque é uma maneira de termos voz e de nos expressarmos”, concluiu Larissa Maia.

Foto: Jorge Maravilha / Ascom PMT

Fechar Menu
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: