SAÚDE DE TERESÓPOLIS RECEBE NOVO EQUIPAMENTO PARA TRATAMENTO DE FERIDAS COMPLEXAS

SAÚDE DE TERESÓPOLIS RECEBE NOVO EQUIPAMENTO PARA TRATAMENTO DE FERIDAS COMPLEXAS
Secretaria de Saúde recebe do Rotary Clube Teresópolis equipamento de ponta para tratamento de feridas complexas

Doado pelo Rotary, o aparelho diminui o tempo de cicatrização das lesões

Moradores de Teresópolis contam agora com um dos mais modernos aparelhos para o tratamento de feridas complexas. Batizado de CURAVAC, ele reduz o tempo de cicatrização e foi doado pelo Rotary Clube à Secretaria Municipal de Saúde. O equipamento será utilizado nos hospitais da cidade e na UPA 24 horas Nathan Garcia Leitão. Esta é a primeira válvula com essa função na Região Serrana.

 “A técnica é bastante simples e impressiona por conseguir excelentes resultados, apesar de utilizar materiais básicos, como esponjas de antissepsia, papel adesivo, válvula reguladora de pressão e aspirador. Apesar do baixo custo para o padrão hospitalar, a eficiência é comprovada”, explicou a subsecretária de Atenção Básica, Dra. Edneia Martuchelli.

Doação

Profissionais do Núcleo de Feridas Complexas da Secretaria Municipal de Saúde, inaugurado em junho deste ano, identificaram a necessidade de incorporação de novas tecnologias para soluções na área de cicatrização de feridas. A partir daí, a Dra. Edneia Martuchelli, junto com as enfermeiras Andrea Juliana e Renata Azevedo, e a farmacêutica Claudine Paula, propuseram ao Rotary Clube Teresópolis a doação de um aparelho de cicatrização a vácuo para o tratamento de feridas complexas, o CURAVAC.

Nesta terça-feira (4), associados do Rotary Teresópolis estiveram na Secretaria de Saúde para fazer a entrega ao secretário da Pasta, Mauro Botner, e à equipe do setor, da válvula Curavac e assessórios. “O agradecimento ao Rotary Clube Teresópolis não poderia deixar de ser feito, e enfatizar que parcerias com o setor privado são sempre bem vindas e quem ganha é a população. Temos a certeza de que essa doação só acrescenta na melhoria da atenção à saúde no município”, disse o secretário Mauro Botner.

CURAVAC

O procedimento de cicatrização a vácuo foi desenvolvido no Hospital da Universidade de São Paulo (USP). Exige internação e apenas profissionais treinados podem avaliar a situação e indicar essa terapia. A técnica não é indicada para lesões superficiais. O custo-benefício da Curavac só se justifica quando o paciente apresenta feridas complexas e mais profundas. Devido à extensão, essas lesões não cicatrizam com os curativos habituais, podendo provocar problemas permanentes.

A Curavac, ou cicatrização a vácuo, não pode ser considerada um tratamento definitivo. Porém, ela atua como uma terapia intermediária, que favorece a formação da cobertura de pele definitiva.

Benefícios

  • maior conforto para o paciente, que não precisa sofrer com a dor da troca constante de curativos;
  • redução do número de curativos e de ocupação dos profissionais de enfermagem, que ficam disponíveis para outras tarefas;
  • fechamento mais rápido da ferida, com redução de gasto de dia-leito e;
  • redução do tempo de internação e do uso de antibióticos.

Portanto, quer o ferimento ocorra por trauma ou haja dificuldades de cicatrização devido à ocorrência de diabetes, por exemplo, os pacientes já podem ter a segurança de que existe técnica capaz de promover a solução em situações de gravidade acentuada.

Texto: AscomPMT
Fotos: Jorge Maravilha

Comente:

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: