Prefeitura institui Medalha Imperatriz Teresa Cristina em homenagem a pessoas de destaque em Teresópolis

Prefeitura institui Medalha Imperatriz Teresa Cristina em homenagem a pessoas de destaque em Teresópolis

Cinco mulheres serão as primeiras homenageadas

A Prefeitura Municipal de Teresópolis instituiu e irá conceder este mês, pela primeira vez, a ‘Medalha Imperatriz Teresa Cristina’, uma honraria entregue pelo Executivo Municipal a pessoas que prestaram relevantes serviços ao Município. O lançamento e a primeira premiação acontecem em 14 de março, dia do 197º aniversário da Imperatriz.

Sendo este um mês dedicado às mulheres, as primeiras cinco medalhas serão entregues à mulheres de destaque, como forma de homenagem a todas as teresopolitanas de fato e de coração.

As cinco homenageadas são:

  1. Dra. Inês Joaquina Sant’Ana Santos Coutinho – representando a justiça e a proteção à infância e à juventude.
  2. Sra. Edinar Corradini – representando a cultura e os valores históricos.
  3. Sra. Maria José de Andrade (Dona Arlete) – representando a liderança da mulher nas comunidades.
  4. Sra. Rosane Martuchelli – representando a importância do nosso interior.
  5. Sra. Josélia de Barros Leitão – representando todos os cidadãos centenários de nosso Município.

A Medalha Imperatriz Teresa Cristina será entregue em uma cerimônia a ser realizada no Foyer do Palácio Teresa Cristina, sede da Prefeitura Municipal, nesta quinta-feira (14), às 19h.

Quem foi Teresa Cristina?

Teresa Cristina de Bourbon foi a terceira imperatriz do Brasil que reinou ao lado de D Pedro II durante 46 anos. Considerada “Mãe dos Brasileiros”, chegava ao Brasil há 175 anos, a bordo da Fragata Constituição, acompanhada por uma grande comitiva que reunia artistas, artesãos e intelectuais. Ao contrário do que a maioria dos livros de História conta, a Imperatriz não foi uma sombra do Imperador D. Pedro II, mas uma figura doce, religiosa e, principalmente, culta e que grandes contribuições trouxe para o Brasil.  Teresa Cristina nutria grande amor por nosso país e nossa cidade foi nomeada em homenagem a ela.

Por que instituir a medalha?

Teresópolis é uma cidade de gente altruísta, em cujos corações transbordam o amor ao próximo e o desejo de fazer o bem. Isso ficou comprovado em inúmeras situações ao longo dos anos. Recentemente, o soerguimento do Município, pós-tragédia de 2011, evidenciou essa faceta teresopolitana. Todos que aqui chegam percebem claramente este lado humano da nossa gente.

Foi pensando em valorizar pessoas que se dedicam ao desenvolvimento econômico, social e humano de nossa gente e inspirar através de seu exemplo, que o Executivo Municipal criou a Medalha Imperatriz Teresa Cristina, personalidade humana, de comportamento irrepreensível, patrocinadora da cultura brasileira e não sem motivo, chamada de “Mãe dos Brasileiros”.

Essa medalha será o reconhecimento, em vida, da importância do que foi realizado e do impacto que o feito teve na vida desta cidade e sua gente: uma condecoração por serviços prestados com a chancela da Imperatriz. 

As homenageadas

Dra. Inês Joaquina Sant’Ana Santos Coutinho, estudou no Colégio Pedro II, graduada em Direito pela UERJ, foi magistrada por 37 anos, 22 dos quais à frente da Vara de Família e, depois, da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso de Teresópolis, se aposentando em junho de 2011. Homenageada várias vezes, inclusive com a obra comemorativa pela sua carreira, o livro ‘Obrigado Dra. Inês’. 

Edinar Corradini, nossa atriz maior, eternizada pela sua interpretação da Imperatriz Teresa Cristina e da intrépida Emília, a bonequinha do Sítio do Pica Pau Amarelo. Desde 1979 fazendo teatro em Teresópolis e região serrana, com vários textos clássicos e Auto de Natal por anos consecutivos. Tem sido uma empolgada fomentadora da cultura em nossa cidade, formando jovens adolescentes com aulas gratuitas na Casa de Cultura e nos brindando com belos espetáculos teatrais.

Maria José de Andrade (Dona Arlete), aos 77 anos, foi a mola propulsora que resultou na construção do Posto de Saúde da Quinta Lebrão, comunidade onde reside há 30 anos. Mesmo com dificuldades visuais, é incansável na luta pela melhoria de vida dos cidadãos através da Associação de Moradores que preside desde 1994. Dona Arlete, como é conhecida, foi a idealizadora da unidade básica de saúde. Cedeu o espaço, atuou na construção, reformas e ampliações desde 2014.

Rosane Martuchelli, nascida na região rural de Teresópolis, no vale dos Lúcios, em Bonsucesso, trabalha na agricultura desde criança no sítio Martuchelli Racho Sabor da Roça, e desde jovem procurou levar inovação na área agrícola para sua comunidade. Está à frente da Associação de Produtores de Lúcios e comunidades vizinhas, visando o crescimento da agricultura e formas de agregar valor aos produtos locais.

Josélia de Barros Leitão, 100 anos recém completos, nasceu em Ponte Nova, na ‘Fazenda Viana’, em 28/01/1919. Morou na fazenda até 1942, quando se casou com Álvaro Dias Pereira e se mudou para Venda Nova, onde criou seus 3 filhos. Zélia, como é conhecida, é flamenguista ferrenha, ama ouvir música, adora dançar, tocava violão e fazia seresta. Zélia é até hoje o ‘porto seguro’ para a família e comunidade amiga por sua longeva positividade e fé!

A medalha

A Medalha Imperatriz Teresa Cristina é uma medalha em zamak-zinco com alumínio e banho dourado envelhecido, criada pelo web designer Roberto Jakaré.  Tem 4mm de espessura e 8 cm de diâmetro.

Fechar Menu
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: