PREFEITO VINICIUS CLAUSSEN FAZ VISITA TÉCNICA AO ATERRO SANITÁRIO E BUSCA SOLUÇÕES JUNTO AO LEGISLATIVO E AO JUDICIÁRIO

PREFEITO VINICIUS CLAUSSEN FAZ VISITA TÉCNICA AO ATERRO SANITÁRIO E BUSCA SOLUÇÕES JUNTO AO LEGISLATIVO E AO JUDICIÁRIO
Fotos: Jorge Maravilha

Em visita técnica nesta segunda-feira, 16, o Prefeito Vinicius Claussen avaliou a atual situação do Aterro Sanitário de Teresópolis. Buscando soluções conjuntas, a vistoria foi acompanha pelo Juiz Carlo Artur Basilico – titular da 1ª Vara Cível; pelo Defensor Público Marcos Delano e pelos Vereadores Tenente Jaime Medeiros e Maurício Lopes, da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal.

Junto com os secretários municipais Beto Calixto, de Obras e Serviços Públicos, e Raimundo Lopes, de Meio Ambiente e Defesa Civil, uma equipe formada por geógrafo, engenheiro ambiental e engenheiro químico analisou de forma técnica todas as situações do Aterro Sanitário.

“Em 15 dias vamos apresentar um pré-projeto, quando a sociedade poderá dar a sua contribuição, e em 30 dias, teremos um plano de ação. Nossa ideia é que, com esse plano emergencial, consigamos uma sobrevida para o aterro, talvez de três anos, tempo para elaborarmos um projeto efetivo. Uma das propostas é, talvez, montar uma usina de compostagem, uma vez que 56% do lixo recolhido são orgânicos e estamos numa região em que são produzidas 90% das folhosas no estado do Rio de Janeiro. Temos também que monitorar os grandes geradores de resíduos, como construção civil e supermercados”, relatou o Prefeito.

A união dos poderes constituídos e sociedade em torno de soluções também é defendida pelo Judiciário. “Tendo um processo judicial em que a questão deva ser decidida, ela ganha objetividade e direcionamentoporque senão estaríamos sempre esbarrando em conflitos o que levaria a uma grande demora para se chegar a uma solução razoável. Acompanhando e decidindo dentro desse contexto é que podemos contribuir, sempre ouvindo todas as partes interessadas. É uma democracia processual”, avaliou o juiz Carlo Basilico.

A urgência na resolução do problema foi destacada pelo Vereador Tenente Jaime Medeiros. “Não dá para esperar mais. Juntando nossas forças, e todos caminhando juntos, com certeza daremos um fim a esse problema que assola a cidade de Teresópolis”.

Para o Prefeito Vinicius Claussen, as melhores soluções devem ser tomadas de forma coletiva.  “Hoje foi um grande primeiro passo. A cidade precisa deixar de enxergar o lixo como grande problema. Vamos usar o lixo como oportunidade de geração de receita para o município”, avaliou o Prefeito.

Também participaram da visita técnica os secretários municipais Henrique Carregal, de Governo, e Rolf Danziger, de Comunicação; os Subsecretários Luiz Eduardo Braga, de Serviços Públicos; Mariana Charles, de Fiscalização de Obras Públicas, e Nascimento, de Defesa Civil; equipe técnica da Secretaria de Meio Ambiente e representantes da Inova Ambiental – empresa contratada pela Prefeitura, através de licitação, para coleta de lixo domiciliar, além de Adacto Ottoni, coordenador do Curso de Especialização em Engenharia Sanitária e Ambiental da UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

O Aterro Sanitário

Localizado no km 75 da Estrada Rio-Bahia, no Fischer, o Aterro Sanitário de Teresópolis foi implantado em 2008 e funcionou de 2009 até aproximadamente 2015, quando gradativamente foi deixando de receber o tratamento adequado. Com vida útil expirada em 2016, o Aterro recebe diariamente 180 toneladas de lixo por dia e funciona por força de liminar desde o dia 6 de março de 2018. “Mas é possível fazer um trabalho técnico e dar uma sobrevida. É o que está sendo buscado com o Legislativo e o Judiciário, com contribuição da sociedade, para termos uma proposta final e partirmos para execução do plano de ação que vamos trabalhar”, destacou Raimundo Lopes, Secretário de Meio Ambiente.

As Secretarias de Serviços Públicos, responsável pela coleta domiciliar de lixo, e de Meio Ambiente, que administra o Aterro Sanitário, atuam em conjunto para garantir as condições mínimas emergenciais de funcionamento do espaço. “Assumimos o Aterro de forma precária de trabalho, devido à falta de máquinas e uma série de coisas, mas que já foram contornadas para garantir a entrada de caminhões de recolhimento de detritos”, concluiu Beto Calixto, Secretário de Serviços Públicos.

Fotos: Jorge Maravilha

Fechar Menu
Skip to content
%d blogueiros gostam disto: