Parque Municipal Montanhas de Teresópolis reabre sede Pedra da Tartaruga nesta sexta (30), após incêndio florestal

Continua a apuração para descobrir a autoria do crime ambiental, que mantém interditada uma trilha por tempo indeterminado

Fechada desde 14 de agosto, devido a um incêndio que destruiu uma área aproximada de 30 mil metros quadrados, a sede Pedra da Tartaruga do Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis reabre, nesta sexta-feira (30), para visitação pública. Contudo, a Trilha da Pedra do Camelo permanece interditada. Equipe da Secretaria de Meio Ambiente continua apurando na tentativa de descobrir os responsáveis pelo crime ambiental.

 Identificado pela equipe do Laboratório de Projetos e Prototipagem do Unifeso (Centro Universitário Serra dos Órgãos), o perímetro de 3 hectares de área queimada dá uma ideia dos danos ambientais ocasionados à unidade de conservação.

 “A Trilha da Pedra do Camelo continua interditada, por tempo indeterminado, para restauração ambiental. A área atingida é rica em fauna e flora nativas da Mata Atlântica, e um incêndio deste porte compromete seriamente a biodiversidade animal e vegetal em seu território. Além disso, prejudica o ecoturismo e as atividades de educação ambiental”, avalia Flavio Castro, secretário municipal de Meio Ambiente.

 A sede Pedra da Tartaruga do Parque Municipal funciona de terça a domingo, das 8h às 17h, tendo funcionários durante este período. A entrada é franca.

Relembrando

O incêndio começou no início da noite do dia 13 de agosto, sendo necessária ação de funcionários da unidade e de bombeiros até a manhã seguinte para extinguir as chamas. O fogo atingiu a vegetação em rocha, queimando algumas espécies raras, como bromélias e orquídeas, a trilha e o cume da Pedra do Camelo.

 A estrutura de captação e distribuição de água para o funcionamento da unidade de conservação também foi danificada, prejudicando o abastecimento de água nos banheiros e nas trilhas. Por isso, o parque ficou fechado para os reparos necessários.

 Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, o incêndio ocorreu num dia de inverno, ou seja, com temperatura amena, e em horário noturno. Assim, a conclusão é de que as chamas foram provocadas por ação humana, quer seja para queimar lixo ou para destruição intencional da mata.  

 A Secretaria continua apurando o ocorrido. Caso o responsável pelo incêndio seja identificado, ele será multado, com denúncia encaminhada ao Ministério Público Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) para inquérito e posterior ação judicial.

Fechar Menu
Skip to content